04 de julho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
25/05/20 às 14h16 - Atualizado em 25/05/20 às 14h26

Administração de Ceilândia realiza ação integrada para atender à população em situação de rua

COMPARTILHAR

Administração de Ceilândia realiza ação integrada para atender à população em situação de rua

 

Cerca de 66 assistidos já foram encaminhados para o novo alojamento na cidade. A iniciativa visa acolher, encaminhar e garantir políticas públicas.

 

A administração Regional de Ceilândia tem realizado, em diversos  pontos da cidade,  o acolhimento a moradores em situação de rua e  encaminhado  a serviços socioassistenciais do Governo do Distrito Federal.  O principal objetivo da ação é atender a população de rua com políticas públicas, como serviço médico,  encaminhamento para clínicas de reabilitação e até mesmo o retorno ao convívio familiar.

A medida é coordenada pelo Núcleo de Políticas Sociais da Administração de Ceilândia, que recebeu notificações da comunidade sobre pessoas  que viviam nas localidades entre a Guariroba, P Sul e nas mediações do restaurante comunitário de Ceilândia. 

 *Acolhimento* – Atualmente os serviços apresentam abordagens sistemáticas, nas ruas e pontos de concentração onde vivem essa população, por profissionais amplamente capacitados da Administração,  encaminhando-os para os núcleos de serviços e convivência e também para o novo alojamento montado no Estádio Regional de Ceilândia. O abrigo provisório é uma das medidas adotadas pelo GDF no enfrentamento ao novo coronavírus.  . 

Atualmente das 200 vagas oferecidas no alojamento, 66 já estão ocupadas. 

O Administrador de Ceilândia, Marcelo Piauí, explica  que são muitas as causas que caracterizam a população em situação de rua, como vínculos familiares rompidos, inexistência de endereço fixo,  insuficiência de renda, além da dependência de drogas. 

"É importante ressaltar que as pessoas são convidadas a irem para o novo alojamento, mas, não são obrigadas a aceitar o encaminhamento. Em casos de recusa por problemas de saúde física ou mental, os profissionais acionam o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), por meio da Central 192, visando garantir acesso ao socorro, registrando em relatórios todas as providências tomadas. Estamos atentos em ajudar a quem mais precisa, dando dignidade a essas pessoas", enfatiza Marcelo Piauí. 

As ações contam com a parceria da Secretaria de Desenvolvimento Social do DF,  de equipes da Administração de Ceilândia, do Hospital Regional de Ceilândia e da Polícia Militar e o DF Legal, que garantem o apoio às operações. A previsão é que novas ações sejam feitas na cidade na medida em que haja a necessidade e a demanda da comunidade.

Além do atendimento da população de rua, o Núcleo de Políticas Sociais da Administração de Ceilândia também atende e acompanha pessoas em situação de risco e vulnerabilidade social.

 

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros