04 de julho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
15/04/20 às 18h28 - Atualizado em 15/04/20 às 18h35

Ceilândia ganhará alojamento para população de rua

COMPARTILHAR

Ceilândia: mais um alojamento para população em situação de rua


A exemplo da unidade do autódromo, espaço tem capacidade para atender até 200 pessoas


Mais um alojamento provisório para população em situação de rua será erguido no Distrito Federal. A nova estrutura ficará no Estádio Maria de Lourdes Abadia, o Abadião, em Ceilândia. Assim como o espaço montado no Autódromo Internacional Nelson Piquet, a unidade conta com contêineres e terá capacidade para 200 pessoas.
 
Em edição extra, na noite desta terça-feira (13), A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) abriu dispensa de chamamento público para contratação da organização da sociedade civil (OSC) que fará a gestão do espaço.
 
“Estamos falando de um dos públicos mais vulneráveis do DF, que não teria como cumprir as medidas de isolamento. Tomamos essa atitude e tomaremos outra com o objetivo de assegurar a prevenção de forma igualitária para todos os brasilienses e, assim, frearmos a disseminação do novo coronavírus”, enfatiza a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha. 

Para o administrador de Ceilândia, Marcelo Piauí, a iniciativa além de proteger quem mais precisa contra o coronavírus, também é trazer inclusão social e mais dignidade a essa parcela da população.
" Vamos monitorar com uma equipe preparada para receber essas pessoas.  A ideia é que os usuários  tenha acesso a programas  sociais do GDF, como a emissão de documentos e  serviços de saúde além do  encaminhamento a albergues. O que queremos é que o acolhido   volte para a vida social com dignidade" , afirma Marcelo Piauí.

De acordo com o chamamento, o objetivo será a execução do Serviço de Proteção em Situações de Calamidades Públicas e de Emergências, cuja finalidade será promover apoio e proteção à população em situação de rua atingida pelas medidas de enfrentamento à Covid-19.
 
De acordo com o chamamento, o principal critério de desempate das propostas é justamente o tempo para instalação do espaço, que deverá contar com a oferta de alojamentos provisórios, atenções e provisões materiais e, ainda, assegurar a realização de articulações e a participação em ações conjuntas de caráter intersetorial para a minimização dos danos ocasionados e o provimento das necessidades verificadas.
 
A vigência para parceria é 90 dias, podendo ser prorrogada por períodos sucessivos, enquanto perdurarem os efeitos das medidas de enfrentamento à Covid-19 para a população em situação de rua. O teto estimado para a realização do contrato é R$ 1.841.377,15.
 
Essa iniciativa soma-se não somente ao alojamento do Autódromo, que acolhe 200 pessoas desde a semana passada, bem como a estrutura montada no Centro de Convivência da Granja das oliveiras, no Recanto das Emas, com capacidade para 105 cidadãos.

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros