15 de julho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais

Ceilandenses comemoram os 48 anos da cidade com Desfile Cívico

1/04/19 às 10h41 - Atualizado em 1/04/19 às 11h17

As comemorações dos 48 anos de Ceilândia, ficaram marcadas na história da cidade, com a participação da comunidade na festividade, foram 4 dias de muita alegria. No dia 27, tivemos a Sessão Solene da Câmara Legislativa no auditório da Administração Regional de Ceilândia, em homenagem aos 48 anos de Ceilândia, ao longo do dia também aconteceram apresentações de artistas locais na praça da Administração.

Para abrilhantar ainda mais a data, no dia 28, no Centro Olímpico do Setor O, aconteceu a abertura das Olimpíadas de Ceilândia, que contou com a presença do administrador de Ceilândia, deputado, delegado, Fernando Fernandes.

O dia 29, ficou marcado por um ato religioso, que foi realizado em conjunto com a Igreja Batista Ebenézer e a Igreja São Marcos e São Lucas, na praça da administração.

No sábado, 30, de março, mais de 20 mil pessoas, acompanharam de perto, o Desfile Cívico em homenagem aos 48 anos de Ceilândia, a Banda do Corpo de Bombeiros abriu o Desfile, tocando na abertura do evento o Hino Nacional, logo depois desfilaram alunos (as0, de escolas da rede pública e privada da cidade, projetos sociais da região, escola de samba, Forrozeiros, equipes do Serviço de Limpeza Urbana e também participaram do desfile, a Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros do Distrito Federal.

Estiveram presentes no Desfile Cívico, o Vice-Governador do Distrito Federal Paco Britto, Severino Cajazeiras, Secretário de Atendimento à Comunidade, e o Administrador de Ceilândia, deputado, delegado Fernando Fernandes, logo após o desfile cívico, as autoridades fizeram o corte do bolo de aniversário dos 48 anos de Ceilândia.

“É uma data muito especial. Ceilândia é a maior cidade do DF. Muitas pessoas vieram para cá em 1972 e deram início ao nome da cidade. Parabéns, ceilandenses”, destacou o vice-governador.

O sábado foi também de prestação de serviços à comunidade com serviços sociais, como a Carreta da Mulher, emissão de carteiras de identidade pela Polícia Civil e atendimentos da Delegacia da Mulher, o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER), Escola de Trânsito, além dos bombeiros e da Delegacia Móvel da Polícia Civil, que fizeram diversos atendimentos aos cidadãos.

Ao longo do dia, as pessoas participaram de diversos eventos na praça da Administração, com apresentações artísticas e culturais. Já no domingo, dia 31, que foi o último dia de comemorações, tivemos apresentações de artistas da cidade, que finalizaram as apresentações dos 48 anos de Ceilândia.

“ Foi muito bom vê as pessoas participando dessa festa linda, fico muito grato pelo carinho da população, e é por cada um de vocês que tenho trabalhado de segunda a segunda, parabéns para nossa cidade que completa 48 anos e parabéns para todos nós Ceilandenses, temos muito o que fazer e com o apoio das pessoas vamos mudar a história de nossa cidade”, afirma Fernando Fernandes.

 

História da cidade

Em 1969, com apenas nove anos de fundação, Brasília tinha 500 mil habitantes. Entre eles, 79.128 moradores, que viviam em 14.607 barracos. O governador Hélio Prates da Silveira (gaúcho de Passo Fundo) solicitou a erradicação das favelas à Secretaria de Serviços Sociais, comandada pelo potiguar Otamar Lopes Cardoso. No mesmo ano, um grupo de trabalho passou a analisar a questão e, depois, a se chamar Comissão de Erradicação de Favelas.

Foi criada, então, a Campanha de Erradicação das Invasões – CEI, presidida pela primeira-dama, dona Vera de Almeida Silveira. Em 1971, já estavam demarcados 17.619 lotes, de 10×25 metros, numa área de 20 quilômetros quadrados – depois ampliada para 231,96 quilômetros quadrados, pelo Decreto n.º 2.842, de 10 de agosto de 1988, ao norte de Taguatinga nas antigas terras da Fazenda Guariroba, de Luziânia (GO), para a transferência dos moradores das invasões do IAPI; das Vilas Tenório, Esperança, Bernardo Sayão e Colombo; dos morros do Querosene e do Urubu; e Curral das Éguas e Placa das Mercedes, invasões com mais de 15 mil barracos e mais de 80 mil moradores. A Novacap fez a demarcação em 97 dias, com início em 15 de outubro de 1970.

Em 27 de março de 1971, o governador Hélio Prates lançava a pedra fundamental da nova cidade, no local onde está a tradicional Caixa D’Água. Às 9h daquele sábado, tinha início, também, o processo de assentamento das 20 primeiras famílias da invasão do IAPI. O secretário Otomar Lopes Cardoso deu à nova localidade o nome de Ceilândia, inspirado na sigla CEI e na palavra de origem norte-americana “landia”, que significa cidade (o sufixo inglês estava na moda). Foi oficiado, na chegada das famílias ao assentamento, um culto ecumênico em ação de graças. Estava criada aquela que seria, no futuro, uma das mais importantes cidades do DF.

Acesso à Informação
Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros